Sebrae quer mais crédito para micro e pequenas empresas

A importância da disponibilidade de linhas de crédito para fomentar o desenvolvimento das micro e pequenas empresas foi um dos principais assuntos abordados na reunião do Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae realizada quinta-feira, 19 de setembro, na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no Rio de Janeiro.

“As micro e pequenas empresas são a maioria esmagadora, mas estão sempre relegadas a segundo plano, inclusive para créditos bancários”, disse o presidente do Conselho, José Roberto Tadros, que é também presidente da CNC. “Estamos tentando descomprimir isso e estimular mais abertura e liberdade econômica, gerando um melhor ambiente para os negócios”, acrescentou Tadros, citando parcerias com o Banco do Nordeste (BNB), Banco da Amazônia (Basa) e, futuramente, com o Banco de Brasília (BRB), com vistas a facilitar o acesso a linhas de crédito com juros mais baixos para as micro e pequenas empresas. Para o presidente do Conselho do Sebrae, quem não considerar esse segmento, não estará em sintonia com o Brasil.

Carlos Melles, diretor-presidente do Sebrae Nacional, reforçou a importância do crédito para as empresas menores. “As micro e pequenas empresas precisam de crédito, o brasileiro de forma geral precisa de crédito”, afirmou Melles. “Estamos trabalhando para ampliar nossa base e nunca tivemos tanto assédio das instituições financeiras, sinal de que elas estão percebendo o potencial dessa clientela”.

Por CNC

Sebrae quer mais crédito para micro e pequenas empresas

A importância da disponibilidade de linhas de crédito para fomentar o desenvolvimento das micro e pequenas empresas foi um dos principais assuntos abordados na reunião do Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae realizada quinta-feira, 19 de setembro, na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no Rio de Janeiro.

“As micro e pequenas empresas são a maioria esmagadora, mas estão sempre relegadas a segundo plano, inclusive para créditos bancários”, disse o presidente do Conselho, José Roberto Tadros, que é também presidente da CNC. “Estamos tentando descomprimir isso e estimular mais abertura e liberdade econômica, gerando um melhor ambiente para os negócios”, acrescentou Tadros, citando parcerias com o Banco do Nordeste (BNB), Banco da Amazônia (Basa) e, futuramente, com o Banco de Brasília (BRB), com vistas a facilitar o acesso a linhas de crédito com juros mais baixos para as micro e pequenas empresas. Para o presidente do Conselho do Sebrae, quem não considerar esse segmento, não estará em sintonia com o Brasil.

Carlos Melles, diretor-presidente do Sebrae Nacional, reforçou a importância do crédito para as empresas menores. “As micro e pequenas empresas precisam de crédito, o brasileiro de forma geral precisa de crédito”, afirmou Melles. “Estamos trabalhando para ampliar nossa base e nunca tivemos tanto assédio das instituições financeiras, sinal de que elas estão percebendo o potencial dessa clientela”.

Por CNC